Texto de Silvia Schmidt


Não tem jeito ... eu gosto de você.
Se quiser, pode reclamar, pode espernear,
pode até me maltratar.
Não tem jeito ... eu gosto de você.



Pode fazer cara feia, pode fingir que não nota,
pode ir andando, pode dar-me as costas,
pode ficar de mal, pode mandar-me às favas.
Não tem jeito ... eu gosto de você.



Pode deixar-me sem resposta,
 sem palavrinhas de dengo,
sem seu sorriso malandro,
 sem um chorinho mimado,
sem nenhum sinal de vida,
 sem recados, sem chamados.
Não tem jeito ... eu gosto de você.



Pode ir fazendo tipo, dizendo " tô nem aí ",
pode buscar outras gentes, pode deitar e rolar,
desafiar minha paciência e me encher de desaforos.
Não tem jeito ... eu gosto de você.



Pode gostar de tudo que não gosto,
pode malhar tudo que gosto,
achar que sou mesmo um saco,
que sou é mala sem alça!
Pode me mandar embora!
Eu vou ... mas espero lá fora.
Não tem jeito ... eu gosto de você.



Vou gostar de você até que a vida se acabe,
mesmo que o mundo desabe,
que você me lance bombas, pragas,
e que até dê baixaria!



Vou miar no seu telhado e, feito gato teimoso,
não vou parar nem a pau!



Vou bater na mesma tecla,
vou dar nas cangalhas até o burro entender!



Não tem jeito ... eu gosto de você !




Silvia Schmidt
SP/SP - 02 de agosto de 2003 -
( Direitos Autorais Protegidos )
Copyright ©2003


 

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

  
Romantic Home / Web designer Ana Amélia Donádio
®DireitosAutoraisReservados©