CORAÇÃO ANGUSTIADO
Autora: Fátima Irene Pinto

Sinto-me tão só ...
Eu e esta estranha sensação de toque de recolher
Esta nítida impressão de algo por acontecer
Eu e esta estranha opressão de fora para dentro
Eu, de respiração presa, à mercê das moiras do tempo.
Sinto-me tão só ...

Todas as cordas da alma, tesas!
As frágeis paredes já não detêm a represa
E as águas encapeladas do meu descontentamento
Vazam desordenadas,
Encharcando a várzea soturna das minhas incertezas.



Sinto-me tão só ...
Abandono-me assim, sem resistência
Deixo vazar, deixo alagar, deixo inundar
Solto-me fluida, em passiva aquiescência
Enquanto a várzea encharcada 
Bem baixinho rumoreja: 
Amar ....
Amar ....
Amar ....


Visite o site da Autora
www.fatimairene.com



 

Romantic Home / Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 25/02/2003.
®DireitosAutoraisReservados©