Enamorar-se
Roberto Shinyashiki



Enamorar-se.
 Será que é só querer para conseguir? 
Roberto Shinyashiki


Será que apenas a vontade consciente
 é capaz de fazer alguém amar?
 Acreditamos que não.
 Apenas a decisão racional
 de querer encontrar alguém não é suficiente
 para possibilitar o encontro.
 Há pessoas que têm esse desejo,
 passam anos e anos à procura de alguém,
 mas não se enamoram e culpam os outros,
 o ambiente e a falta de sorte por sua solidão.



Às vezes,
 chegam a sentir alguma emoção por alguém,
 começam a envolver-se, mas, como um relâmpago,
 o estímulo desaparece.
 Ou então, encantam-se por alguém
 e começam a ter a sensação de não ser queridas
 pelo outro, permanecendo na solidão.

Na realidade, quem não encontra alguém
 é porque, internamente, não está predisposto a amar. Não está disponível para envolver-se e, erroneamente, pensa que está querendo compartilhar o amor.



Quem se acomoda com a solidão dificilmente
 vai se enamorar porque, para isso,
 é necessário estar sentindo o incômodo da solidão
 e ter a percepção realista
 de que estar só o(a) faz infeliz.

É uma visão dialética.
 Se por um lado é necessária a sensação de incômodo,
 de falta de algo na vida,
 para o movimento em direção ao amor,
 por outro lado é fundamental que se queira crescer
 no amor e que se confie em si mesmo
 e na própria capacidade de viver em amor.
 Só assim, num caminho crescente,
 depara-se ao mesmo tempo com o desconforto
 provocado pela consciência da lealdade à solidão
 e com o impulso de ir ao encontro da felicidade,
 despertado pela beleza do amor.

Do livro "Amar pode dar certo"
www.shinyashiki.com.br

"Respeite os Direitos Autorais"

 

 

Romantic Home/ Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 25/04/2005.
®DireitosAutoraisReservados©