Espelho meu
Ana Amélia Donádio


Hoje acordei e sem querer olhei para o espelho
mas olhei de forma diferente.
Ele parecia me cobrar algo.
Olhei para dentro dos meus olhos
  procurei o brilho do meu olhar,
 estava opaco.
Olhei para o meu rosto
 e pude notar as marcas do tempo.
Procurei no meu sorriso um vestigio de alegria,
também não encontrei.
Havia apenas um sorriso triste e abatido.

Continuei a sondar
e, dessa forma, também pude ver a minha alma.
Estava triste e amargurada
tentando encontrar algo que deixei para trás
ou quem sabe nunca tive.
Tentando buscar em vão a felicidade!



Diante do espelho passei a me perguntar:
Porque tanta amargura?
Porque tanta tristeza nesse olhar?
Porque esse vazio enorme no peito
e um coração sempre a sangrar?

As respostas vieram de imediato.
Sua covardia, seu medo de enfrentar a vida,
seu comodismo e espírito de aceitação
fizeram com que você se tornasse
 essa pessoa vazia.
Seu medo de amar foi maior do que de tentar.
Jamais você amou por medo de sofrer.



Nunca é tarde para ser feliz!
Não deixe o tempo passar
e nem tente adiá-lo.
Corra atrás da sua felicidade.
Ame e deixe-se ser amada
pois só o amor verdadeiro 
é capaz de nos devolver a vida
e, novamente, nos fazer sonhar!

Proibida a cópia sem autorização




 

Romantic Home/ Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 24/11/2003.
®DireitosAutoraisReservados©