ESTRANHO ENCONTRO
Autora: Cleide Canton Garcia

Olho-te e me vejo em ti.
Contemplo-te e me encontro mas não aceito,
até rejeito!
Sombras do passado dançam na minha mente
de repente...
E pode até ser que fui o que vejo
num lampejo.

Ouço a melodia suave que envolve a tua história
contraditória
Encontro-me nela mas não insisto,
resisto...
Envolve-me o perfume suave que conheço
e não esqueço.

Muito tarde percebo que já ocupei 
os teus espaços
E descubro teu mundo, teus anseios, teu calor...
Jorram em mim tuas lembranças, 
teus embaraços
e sinto a dor do teu coração que se partiu por amor.



Sorrio teus sorrisos, 
danço os mesmos compassos,
corro os mesmos riscos e mando o mesmo recado...
Sinto a mesma tristeza de perder os mesmos abraços
Canto no mesmo tom 
e cometo o mesmo pecado!


Penetro nos teus sonhos
e me aposso dos teus segredos.
Não sei se, de ti, tudo roubei
ou se o que era meu recuperei



Entrei nas tuas entranhas... Pertenço-te, me pertences.
Suave criatura que já fui e que se perdeu em mim
Retornes ao passado esquecido
e revivido...
Ou talvez tenhas sido o mais belo sonho
que eu tenha sonhado...

Devolvo-te a tua moldura!
Entrego-te ao meu passado!

Visite a página da Autora:
Página Poética de Cleide Canton

 

 

 

Romantic Home / Web design Ana Amélia Donádio
Página editada em 05/12/2002.