Jeito-menino de me olhar
Cleide Canton

Canto-te a toda hora,
do entardecer à aurora.
Canto tua vida complexa
tua visão conexa,
tua causa e teu fim.
Canto o amor
que tatuaste em mim,
marca indelével de posseiro
que toma pela persistência,
que domina sem resistência.
És o sol, todo inteiro,
iluminando janeiro a janeiro
os meus momentos,
meus amores e meus tormentos.
E persistes nesse laço solto
que domina, de ternura envolto,
e prende-me a ti, eternamente,
viva, fiel e crente.
Morro se um dia me faltar
esse teu jeito-menino de me olhar.



Visite o site da Autora
Página Poética de Cleide Canton

Respeite os Direitos Autorais
Mantenha sempre a Autoria.

 

 

Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 16/02/2006
®DireitosAutoraisReservados©