Leiloando um coração
Ana Amélia Donádio


Já cansada de ouvir reclamação
do meu coração sonhador
dizendo sentir-se na solidão
resolvi doá-lo, então.
Nada exigi em troca.
Mas tudo que de graça vem
parece não ter valor.
Fui buscá-lo de volta
pois agonizava em sofrimento e dor.

Muito trabalho tive para que ele se recuperasse.
Depois de algum tempo voltou a bater.
Mas como é teimoso e não tem jeito
logo esqueceu o mal que lhe foi feito
Sentiu-se triste e abatido
voltando a reclamar da solidão.
Resolvi dar-lhe a mão.
mas agiria diferente.
Vendê-lo seria mais producente.

Pelo preço assim combinado:
A primeira parcela seria paga
com muito amizade e respeito,
a segunda, com carinho e cumplicidade
e a terceira com amor e lealdade.

Algum tempo depois fui resgatá-lo.
O contrato não fora cumprido
e nenhuma parcela havia sido paga.
Meu coração sozinho ficou.
Tempo de reclusão!

Depois de curar suas feridas profundas
cheguei a pensar que ele tivesse tomado juízo,
mas bastou esquecer suas dores
para que, de novo, começasse a cobrar.
Por medida de precaução
não mais o doarei nem venderei.
Decidi que meu coração
irá a leilão.

Se alguém por ele se interessar
Boa oferta terá que fazer.
Quem melhor reunir qualidades,
eu baterei o martelo:
Leva esse coração teimoso.

Dou a garantia de que apesar de sofrido
ele ama com intensidade.
Extremamente dedicado e fiel
só precisa ser amado.

Aqui vai um "ultimatum":
Se for para fazê-lo sofrer
prefiro que fique na solidão
do que vê-lo aos poucos morrer.

Proibida a cópia sem autorização.

 

 

Romantic Home/ Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 10/12/2004.
®DireitosAutoraisReservados©


Gráfico Criação April Gin