Meus dois Amores
Ana Amélia Donádio

   


Meus dois Amores
Ana Amélia Donádio


Num momento de solidão
fui apresentada ao Hilton por uma amiga
Confesso que no começo não gostei muito dele.
Depois fui me acostumando.
Ele se tornou o melhor
e, embora fosse uma boa companhia,
pensei muitas vezes em abandoná-lo.
Meu pai o odiava, mas eu não estava nem ai.
Afinal, eu era adulta e senhora de mim.
O tempo foi passando
 e a cada dia eu me apegava a ele mais e mais
Se ele me fazia bem ou mal não me importava.
A única verdade é que eu não conseguia viver sem ele.
Um dia Hilton sumiu
sem aviso, sem deixar recado.
Procurei por ele em todos os lugares,
até mesmo em todos os bares.
Como sofri com a sua ausência
Pensei até que fosse morrer.
Mas como gosto da vida, escolhi viver.
Começou então, minha peregrinação
Tinha que encontrar outro a todo custo
para preencher um buraco chamado solidão.
Quando já estava cansada da procura
eis que surge o meu novo e grande amor.
Como esperei por aquele momento!
Quando eu o tive ao meu alcance
e o toquei com meus lábios pela primeira vez
o coração bateu forte, tamanha a minha emoção.
Nascia ali um grande amor.
Ele me completava, me satisfazia,
me acalmava e me fazia companhia.
Felicidade maior, nenhum outro me daria.
Eu já nem lembrava mais que o Hilton existia
quando, sem querer, na minha frente ele apareceu
Fiquei balançada, perdi o folego e o coração tremeu.
Mas eu sempre fui fiel
e mesmo estando dividida, ali mesmo optei.
- Sinto muito, Hilton. Você chegou tarde demais!
Estou feliz com o Marlboro e ele me satisfaz.

Você pensou que fosse quem, mente poluida?
Estou falando de cigarros.



"
Respeite os direitos autorais"

 

   


 

Romantic Home/ Web designer Ana Amélia Donádio
Página editada em 09/03/2005.
®DireitosAutoraisReservados©